Category Archives: Gestor em Ação

10.05.2017 – Gestor em Ação – Carmynie Barros e Xavier

Carmynie Barros e Xavier

 

Graduada em Gestão Ambiental pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul – Campus Porto Alegre (2015), Mestranda em Desenvolvimento Rural pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, atualmente coordena o programa Jovens Profissionais do Saneamento da Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental-ABES, seção Rio Grande do Sul. Tem  experiência na área de Jurídica e nas Ciências Ambientais, atuando principalmente nos seguintes temas: gestão ambiental, licenciamento ambiental, saneamento e economia. 
Acompanhe um pouco mais dos trabalhos desta Gestora Ambiental nos links:
carmynie@gmail.com

 

*As informações contidas no texto são de inteira responsabilidade do autor.

Quer ter seu perfil publicado no Gestor em Ação?
Entre em contato com a ANAGEA através do e-mail

anagea@anagea.org.br

12.09.2016 – Gestor em Ação – Elmar Magalhães

elmar-magalhaes
Elmar Magalhães – Tecnólogo em Gestão Ambiental

Elmar Magalhães é Tecnólogo em Gestão Ambiental, pós-graduado em Gestão de Resíduos Urbanos no Programa de Pós-Graduação em Gestão de Resíduos Sólidos Urbanos. AVM – Faculdade Integrada. A vez do Mestre/RJ, especialista em Resíduos Sólidos Urbanos (EAD), Pós em Gestão Pública, Faculdade Cândido Mendes/BA (EAD).Fundador e diretor-presidente da (ABGAM), Associação Brasiliense dos Gestores Ambientais do DF e Entorno. Professor Especialista na Faculdade Instituto Educativo/Curso gestão, legislação e auditoria ambiental.Professor bolsista do PRONATEC, disciplinas gestão ambiental, e gestão de resíduos sólidos. Servidor público do GDF, atualmente chefe do comitê ecológico ambiental do DETRAN-DF. Atua com Agenda Ambiental na Administração Pública A3P programa do MMA, com implantação da coleta seletiva solidária do DETRAN-DF, elabora projetos socioambientais advindos de editais do setor público ou privado, objetivando a melhora estrutural, organizacional e pessoal dos trabalhadores.

Destaque ao Projeto Fiscal Ambiental Mirim, de 2016, cujo objetivo é despertar nas crianças de Vicente Pires o interesse sobre a consciência ambiental para poderem repassar seu conhecimento às outras crianças e até mesmo aos adultos, a fim de garantir um futuro melhor para a cidade. Esse projeto se realizará através de um concurso artístico em que os participantes mirins poderão expressar seus talentos ilustrando uma cena de História em Quadrinhos com carácter educativo.

O Projeto será realizado em todas as escolas de Ensino Fundamental de Vicente Pires abrangendo a faixa etária de 5 a 10 anos de idade dos participantes.

Elmar Magalhães

gestorambiental2015@gmail.com

 

*As informações contidas no texto são de inteira responsabilidade do autor.

 

Quer ter seu perfil publicado no Gestor em Ação?
Entre em contato com a ANAGEA através do e-mail

anagea@anagea.org.br

22.04.2016 – Gestor em Ação – Valdemir dos Santos de Lima

Valdemir dos Santos de Lima


Tecnólogo em Gestão e Saneamento Ambiental, Doutorando em Engenharia Urbana no Programa de Pós-Graduação em Engenharia Urbana. UFSCar – Universidade Federal de São Carlos/SP,
especialista em Resíduos Sólidos,  é Professor Mestre na Faculdade UNIESP/CBTA para os cursos de Gestão Ambiental, Produção Industrial e Gestão de Recursos Humanos (Presencial e EAD) e atua no Gerenciamento dos processos administrativos em uma Cooperativa, em conjunto de seus associados, elabora projetos socioambientais advindos de editais do setor público ou privado, objetivando a melhora estrutural, organizacional e pessoal dos trabalhadores.

ValdemirFlyer1

ValdemirFlyer2

15.05.2013 – Gestor em Ação – Petrina Teixeira dos Santos

Petrina Teixeira Santos

Petrina Teixeira Santos, Graduada em Tecnologia da Gestão Ambiental pelo UniBH, teve seu projeto monográfico, Transformoleum, contemplado como finalista da Premiação Internacional ECO – RETO 2013. Entre os 130 projetos enviados, apenas 08 foram selecionados para a etapa final que acontece na Guatemala, entre os dias 01 e 04 de junho.

Pela primeira vez o Brasil é representado na competição que acontece há 05 anos e já envolveu 4.916 equipes, em 72 países –http://www.ticamericas.net/noticias/dc041513.php.

Sobre o projeto Transformoleum : foi idealizado para minimizar o problema do descarte inadequado do óleo de cozinha residual nos centros urbanos e a vencer o desafio da conscientização da população quanto aos impactos ambientais negativos gerados por este processo.

Propõe-se a realização de campanhas de educação ambiental para a população residente em diversas localidades, a providência da logística reversa do recolhimento destes resíduos em parceria com estabelecimentos comerciais locais para comercialização e/ou a precificação do próprio serviço de logística reversa e a doação dos materiais de limpeza às comunidades.

Em face disto, o projeto é integralmente pautado nos três vieses da sustentabilidade. A área de meio ambiente é abordada com o desenvolvimento do programa de educação ambiental para a população; a econômica, abordada na precificação do negócio e a social, no envolvimento da comunidade no processo, bem como na possibilidade de doação dos materiais produzidos.

Confira a entrevista que a tecnóloga em Gestão Ambiental concedeu ao Centro Universitário de Belo Horizonte – UNIBH referente à classificação como finalista da Premiação Internacional TIC Américas Eco Challenge 2013.

http://youtube https://www.youtube.com/watch?v=b77FwJU6hYw

03.03.2013 – Gestor em Ação – Heitor Pereira dos Santos

Chamo-me Heitor Pereira dos Santos sou graduado em Tecnologia em Gestão Ambiental, resido no interior de Mato Grosso mais especificamente no Município de Tangará da Serra, e trabalho cerca de seis anos nas diversas áreas ambientais. Contudo minha historia como gestor ambiental começa bem antes da graduação, desde pequeno sempre me interessei pela complexidade do meio ambiente, as formações vegetativas, a cadeia evolutiva da fauna, e como esses mecanismos simbióticos agem em sincronia com os seres humanos. Porém percebia os feitos negativos que os homens traziam para estes mecanismos, e me auto- questionava por que tanto destruição, para onde vai toda essa matéria que é retirada da natureza.
E com passar dos anos e com muito aprendizado percebi que os mesmos efeitos negativos poderiam abrir novos caminhos para soluções mais tecnológicas e menos agressivas ao meio ambiente. Em meados do ano de 2000 comecei a trabalhar como agente comunitário de saúde pela Secretaria Municipal de Saúde de Tangará da Serra, e graças a essa oportunidade de trabalho, descobri á minha verdadeira vocação, que mais tarde se tornaria um profissão, percebia com um olhar mais ambiental os problemas de relacionados à saúde que havia no meu bairro bem como em bairros circos vizinhos, percebia que muitos desses problemas estava ligados coletivamente com os impactos ambientais causados pela própria população local, via que a mesma não sabia de fato a importância de se manter um ambiente limpo e menos impactante.
Após quatros anos atuando como agente de saúde, passei á trabalhar com os povos indígenas em projetos sócios ambientais do governo federal, entrei em um novo mundo, onde a supressão ambiental havia chegando sem avisar, vi a fragilidade tanto social quanto ambiental de muitos povos, vivenciei a calamidade e a pobreza de muitas comunidades e enfraquecimento de sua cultura, percebi o quanto nosso povo brasileiro precisava de profissionais mais qualificados para encarar os desafios da gestão de resíduos e a preservação dos recursos naturais, profissionais capazes de desenvolver novas tecnologias mais eficientes e menos impactante para o meio ambiente, aplicar metodologias mais participativas no conceito de reaproveitamento.
Em junho de 2008 entrei para curso de Tecnologia em Gestão ambiental, durante esse período foram grandes as barreiras, as dificuldades financeiras, o preconceito vindo de colegas de outras áreas das ciências ambientais, foram momentos de profunda tristeza em saber que, muitos que se dizem serem verdadeiros profissionais do meio ambiente, ainda não tinham evoluído em seu aprendizado com tal, contudo não me deixei abalar com a mentalidade arcaica dos caros colegas. Focado no meu objetivo profissional nunca desisti de encontrar meu lugar no mercado de trabalho, e mesmo sendo acadêmico, comecei a trabalhar em projetos patrocinados pelo Programa Petrobras Desenvolvimento e Cidadania, em 2011 conclui o curso com muita emoção e orgulho de minha família, e na bagagem uma vasta experiência na gestão ambiental, e com o diploma em mãos fui à procura de novos horizontes profissionais, trabalhei como Coordenador de Gestão Ambiental na Secretaria Municipal de Meio Ambiental de Tangara da Serra, e atualmente sou analista ambiental no Consórcio Sanches Tripoloni-Pella  no município de Nobres- Mato Grosso, em uma obra de ampliação e duplicação da Rodovia Federal 163.

Heitor Pereira dos Santos

Digo a todos os gestores ambientais deste Brasil, já mais se deixe levar pelo medo do fracasso, não se desanime com comentários insignificantes a respeito da profissão de gestor ambiental, somos iguais a todos os profissionais da área ambiental, temos as mesmas condições acadêmicas que os de mais para nos qualificarmos tanto em especializações quanto em mestrados, somos a evolução do desenvolvimento social, nossos princípios esta pautado na necessidade ambiental da população brasileira que clama por dias melhores no que tange qualidade de vida e de um ambiente mais equilibrado. A todos um grande abraço.

 —
*As informações contidas no texto são de inteira responsabilidade do autor.

 

Quer ter seu perfil publicado no Gestor em Ação?

Entre em contato com a ANAGEA através do e-mail

anagea@anagea.org.br

15.12.2011 – Gestor em Ação: Thaís Cristina Pereira

Thaís Cristina PereiraSou Thaís Cristina Pereira, tenho 26 anos e sou tecnóloga em gestão ambiental, ou seja, gestora ambiental desde… pequena. Isso mesmo! ser um gestor, um ambientalista é também nascer com um dom, como o de cantar, é ter uma aptidão nata para driblar as dificuldades e conseguir administrar conflitos. Começo meu breve comentário sobre a minha atuação profissional dessa maneira por acredito que o primeiro passo para a realização pessoal em qualquer área de atuação é ter a certeza que nada será fácil, mas ser perseverante assim mesmo.Completei minha graduação no final de 2010, no curso de Tecnologia em Gestão Ambiental, com duração de 03 anos, em uma faculdade particular, pouco conhecida no mercado e recentemente reconhecida pelo Ministério da Educação, MEC.Todos esses atributos me fizeram pensar duas (dúzias) de vezes se realmente estava escolhendo o melhor caminho profissional. Comecei a pesquisar,conhecer melhor as possibilidades de atuação do gestor ambiental e cheguei a conclusão que apesar de incipiente, o campo de trabalho estava em ascensão.
Confesso que fiquei apreensiva, mas logo no primeiro período, nos primeiros contatos com as possibilidades de um gestor, eu pensei: vou encarar o desafio. E desde esse momento eu comecei a me dedicar, a participar de todos os seminários, cursos e palestras que podia e mandei o meu curriculum para vários lugares. Descobri então que portas se abrem, se você bater ou se der um empurrãozinho, caso alguém tenha deixado-a entreaberta.

Atividade de educação ambiental com crianças em áreas de risco socioambiental

E fui batendo e até mesmo forçando a minha entrada, de tanto que insisti por um estágio no Projeto Manuelzão da UFMG, reconhecido internacionalmente pela luta pela preservação de rios a partir da mobilização social, que consegui.
Fiz estágio lá por dois anos seguidos, intercalando com instituição como o Projeto Swich, Pampulha Viva, Asa Consultoria e órgãos públicos como a Prefeitura de Belo Horizonte, Superintendência de Limpeza Urbana. Passei também por empresas particulares de consultoria ambiental, além de ter participado de não me lembro quantos cursos, palestras e eventos (a maioria gratuitos).

Participando do Fórum de Sustentabilidade

Foi um longo período de restrição financeira, mas que foi compensado pelas conquistas, conversas e oportunidades de aprendizado que consolidaram minha carreira como gestora ambiental.
Hoje, com quase um ano de formada, faço pós graduação em Gestão de Pessoas e de Projetos pela Universidade Federal de Itajubá, Minas Gerais, gratuitamente, por bolsa do governo federal, e um dos pré-requisitos foi a avaliação do meu histórico escolar e da minha formação acadêmica e seus aprofundamentos.
Há um mês, fui contratada pela empresa MJM Serviços Técnicos Ambientais em Belo Horizonte, que atua em várias vertentes, com projetos aplicados para grandes indústrias como Vale, Samarco e Cimentos Liz.
Sou registrada em carteira, como analista ambiental, com um salário inicial bastante significativo e atuo como educadora ambiental fixa em um programa de treinamento em meio ambiente para funcionários e também no relacionamento com a comunidade externa impactada pela fabricação de cimentos, da Empresa de Cimentos Liz.
Não faço esse relato para me enobrecer, mas para pontuar mesmo que de maneira tão singela, as glórias e mazelas da carreira de um gestor ambiental e para dizer também que elas estão apenas começando, porque a pressão social por profissionais sensíveis às causas ambientais tende a aumentar cada vez mais, e conseqüentemente, o campo de atuação e de trabalho irá se expandir e diversificar da mesma maneira.

Ouvindo o depoimento de uma criança sobre as épocas em que ocorrem a inundação do rio próximo a casa dele

Fica aqui o último conselho: entregue-se com paixão à nossa profissão, permita que as pessoas que estejam ao seu redor, sintam essa paixão sair dos seus poros…e o resto? Deixa acontecer naturalmente.

E vamos na luta, porque como nessa frase (não sei bem de quem): “ as pessoas são como as águas, crescem quando se encontram.”  E espero que todos encontrem a foz para o sucesso pessoal e profissional…também estou nesse caminho e nos vemos em breve.

Abraços verdes!

*As informações contidas no texto são de inteira responsabilidade do autor.

 

Quer ter seu perfil publicado no Gestor em Ação?

Entre em contato com a ANAGEA através do e-mail

anagea@anagea.org.br

16.01.2010 – Luis de Deus Tavares

Luis de Deus
LUIS DE DEUS TAVARES

Idade: 51 anos casado pai de três filhos.

Formado em Gestão Ambiental pela UNIA. Santo André Pós Graduado em Gestão Ambiental pelo SENAC. Jabaquara Ocupação Assessor parlamentar

.

Participou do ano de 2001 a 2007 no Comitê de Bacia Hidrográfica do Alto Tietê onde também foi membro da CTPG (Câmara Técnica de Planejamento e Gestão) onde teve a oportunidade de participar da discussões do Rodoanel Trecho Sul, Rebaixamento da Calha do Rio Tietê, Flotação do Canal Pinheiro, Regulamentação da LEI Especifica da Guarapiranga, Membro do Grupo de Trabalho da LEI Especifica da Billings, Outorga (licença) do Sistema Cantareira.

Tive oportunidade de fazer vários cursos relacionado a quantidade e qualidade dos recursos hídricos, cursos de capacitação Governativa de Representantes de Comitê Metropolitano da Bacia do Alto Tietê e o mesmo curso no Subcomitê Billings e também Curso de Educação Ambiental.

De 2007 a 2009 Membro representante da Sociedade Civil dos Usuários para Consumo Domésticos no Subcomite Billings-Tamanduatei.

Presidente da SAB Senhor do Bonfim de 1994 a 2010

O Jardim Senhor do Bonfim foi implantado em área de proteção ambiental onde teve o seu parcelamento de solo de forma irregular com a Lei de proteção dos mananciais 1172/76, depois que assumimos a direção tivemos que fazer um trabalho de conscientização ambiental em parceria com a Administração Municipal , Ministério Publico de Meio Ambiente e Urbanismo, Empresas Vizinhas e os Moradores é claro esses são os atores mais importantes.

Resultado dessas ações? O nosso bairro é hoje tido como referência quando o assunto é equilíbrio de moradia e cuidados ambientais e objeto de vários T.CCs e Tis.

RELAÇÃO DE BAIRROS QUE TERÃO ONIBUS :

  • JARDIM NOVO HORIZONTE – MARLENE
  • PARQUE DAS GARÇAS – GERSINA E JUSTINO
  • JARDIM VIDA NOVA E JARDIM LAURA – VITAL E GRAÇA
  • JARDIM SENHOR DO BONFIM – LUIS DE DEUS
  • JARDIM JOÃO DE BARRO – AFONSO E CHIQUINHO
  • JARDIM DAS OLIVEIRAS- MAURICIO E TONINHA
  • JARDIM DETROIT E JARDIM DO LAGO – OSVALDINHO E VALDECIR
  • VILA VITÓRIA – GALO
  • JARDIM MARCO POLO – ROQUE ARAUJO
  • JARDIM CANAÃ – CAL
  • JARDIM LOS ANGELES – GAZO E AGOSTINHO